ONGs monitoram impactos da produção de eletrônicos
17-04-2009

Desde 2007, conjunto de entidades da Europa desenvolve a campanha Make IT Fair, que atua para conscientizar jovens consumidores de países ricos sobre impactos da produção de celulares, laptops e MP3 Players em países pobres

Por Repórter Brasil

Você sabia que o seu telefone celular não funcionaria se não tivesse ouro? Na realidade, os celulares necessitam de 30 diferentes tipos de metal para funcionar e a indústria de aparelhos eletrônicos consome proporções cada vez maiores de minérios preciosos e raros encravados pelo mundo.

Muitos desses metais são extraídos em minas de países pobres nas quais trabalhadores enfrentam condições de trabalho aterradoras. Na República Democrática do Congo, 50 mil crianças, algumas delas com apenas sete anos de idade, trabalham em minas de cobre e cobalto por jornadas exaustivas sem nenhum tipo de proteção. Muitos dos dois milhões dos garimpeiros do Congo ganham menos que € 2 por dia.

Em outras regiões, vilas inteiras foram removidas para dar mais espaço para a mineração. E enquanto alguns pequenos garimpeiros conseguem sustentar suas famílias (basicamente com comida e remédios) com muita dificuldade, companhias mineradoras e negociadores enchem os bolsos com ouro por conta do aumento da demanda por matérias-primas minerais.

O meio ambiente também sofre cada vez mais por conta do nosso apetite irrefreável por todos os últimos lançamentos de gadgets eletrônicos. Em Norislk, na Rússia, onde níquel, cobalto, platina e paládio são extraídos para a produção de componentes eletrônicos, a poluição do ar é tão ruim que muitas crianças sofrem com doenças nos pulmões de incapacidade respiratória.

Os dados e as informações acima foram retirados de um panfleto elaborado pela campanha Make IT (de International Technology, em Inglês, ou Tecnologia da Informação, em Português) Fair, organizada por ONGs da Europa, que atua para conscientizar jovens consumidores de países ricos sobre os impactos na produção celulares, laptops e MP3 Players em países periféricos.

A campanha faz uma convocação para que o público pressione as grandes empresas do setor de eletrônicos a assumir a responsabilidade por melhorar as sofríveis condições sociais e os terríveis impactos ambientais que afetam as regiões das minas ao redor do mundo.

As organizações que desenvolvem o Make IT Fair (makeitfair.org) clamam para que as companhias tenham conhecimento das consequências de todas as etapas de suas cadeias produtivas e passem a trabalhar por mudanças. “Como um grande consumidor de metais do mundo, essas grandes empresas de eletrônicos podem realmente fazer a diferença – promovendo condições melhores de vida aos trabalhadores da mineração e ajudando a proteger nosso planeta de prejuízos adicionais”, recomenda a campanha, que produz aindacartilhas online e estudos com linguagem escrita e visual voltada à juventude.