Agenda socioambiental tende a ser vista como oportunidade
06-11-2009

Executivos ouvidos por pesquisa anual da consultoria McKinsey relatam que empresas com critérios sociais e políticos claros colhem uma série de benefícios práticos como acesso a novos mercados e melhoria operacional

Por Repórter Brasil

Executivos passaram a enxergar a agenda sociopolítica das grandes empresas mais como oportunidade do que como risco. É o que atesta pesquisa anual da consultoria McKinsey, que ouviu, pelo quarto ano seguido, quase dois mil representantes de companhias entre o final de 2008 e 2009.

De acordo com o levantamento, empresas com critérios claros para questões sociais e políticos relacionadas aos seus negócios tendem a colher uma série de benefícios, incluindo o acesso a novos mercados e a melhoria na eficiência operacional e na gestão da força de trabalho.

Para aproximadamente 87% dos executivos, companhias com ações na área ambiental incrementaram sua eficiência (citada por 53%), lealdade à marca (citada por 48%) e acesso a novos mercados (citado por 39%). Como resultado da crise, os pesquisados esperam o aumento da influência e do envolvimento político de suas empresas para ganhar proeminência.

A crise econômica, contudo, não mudou as visões de longo prazo acerca das questões que afetarão os negócios: o tema ambiental (incluindo as mudanças climáticas), a influência política da empresa, benefícios (de assistência de saúde e outros) para empregados, repeito aos direitos humanos etc.

Segundo a pesquisa, as companhias com agendas sociopolíticas sólidas têm contabilizado mais benefícios que os esperados.