Reportagem mostra irregularidades em frigoríficos do Brasil
19-09-2012

Problemas com a segurança e ameaças à saúde dos trabalhadores de gigantes da indústria de carnes comprometem a cadeia de empresas mundialmente conhecidas de varejo e fast-food

Por Repórter Brasil

A ONG Repórter Brasil, signatária do Pacto Nacional, investigou as condições de trabalho nas três maiores indústrias de carne do país, na reportagem multimídia “Moendo Gente”.  Acidentes de trabalho, jornadas exaustivas e inúmeros desrespeitos à regulamentação do setor são situações frequentes nos frigoríficos de Brasil Foods (BRF), JBS e Marfrig.

Visite o site “Moendo Gente” e veja a reportagem completa.

Frigoríficos das três empresas integram a cadeia produtiva de grandes companhias do ramo alimentício no Brasil e no exterior, sustentam as exportações de carne brasileira para mais de 150 países e contam com considerável apoio financeiro do governo federal.

Somente a BRF responde por 9% das exportações mundiais de proteína animal, segundo informações da companhia. A JBS é líder nos Estados Unidos no processamento de carne bovina, suína e de frango desde 2009, quando incorporou outras empresas do setor. O grupo Marfrig é o terceiro maior produtor de carnes da América Latina e o terceiro maior de carnes bovinas no mundo inteiro.

Cobrança dos clientes

O Walmart, que integra o Pacto Nacional, é cliente dos três frigoríficos. No Brasil, onde o grupo de supermercados corresponde à terceira maior rede de varejo, parte considerável das carnes bovinas, suínas e de aves que abastecem as unidades da rede são das marcas Perdigão e Sadia (pertencentes ao grupo BRF), Swift, Friboi e Maturatta (grupo JBS), Seara, Mabella e Montana (grupo Marfrig).

Alertado pela Repórter Brasil sobre os problemas em sua cadeia produtiva, o Walmart informou que iria contatar os fornecedores para esclarecimentos, bem como requerer planos de ação corretiva. A empresa afirma também que monitora fábricas, inclusive através de auditorias não anunciadas, para garantir que seus parceiros comerciais ofereçam um ambiente de trabalho seguro e saudável (veja aqui o posicionamento na íntegra).

Os frigoríficos investigados também são grandes parceiros comerciais do McDonald’s, maior companhia de fast-food do planeta e integrante do Pacto.  Os hambúrgueres da franquia no Brasil são produzidos com carne bovina oriunda dos frigoríficos locais da Marfrig. A BRF fornece 100% do frango para a franquia brasileira de restaurantes, além de bacon, presunto e peito de peru em fatias. A JBS abastece a franquia na Europa.

O McDonald’s informou à Repórter Brasil que todos os seus fornecedores diretos precisam assinar um Código de Conduta e passar por uma auditoria independente. Além disso, diz que costuma convidar especialistas internos e externos para seminários com fornecedores, inclusive no Brasil (leia o posicionamento do McDonald’s na íntegra aqui).

Além de Walmart e MdDonalds, outras transnacionais conhecidas do varejo e do fast-food também mantém relações comerciais com os frigoríficos brasileiros, como Carrefour, Tesco, KFC, Subway, Burguer King e Pizza Hut.

Os detalhes sobre as irregularidades encontradas e mais informações sobre cada empresa e suas cadeias produtivas podem ser acessados no site “Moendo Gente”.