É possível produzir carvão observando direitos trabalhistas?
12-12-2012

Unidade que atende Sinobras tem 72 trabalhadores com carteira assinada e direitos respeitados, segundo Instituto Carvão Cidadão

Por Repórter Brasil

Trabalhador com equipamentos de proteção. Foto: Divulgação

Em meio à Tailândia, no Pará, município marcado pela devastação ambiental e por violações de direitos sociais e trabalhistas, uma carvoaria surge como exemplo de boas práticas, segundo o Instituto Carvão Cidadão (ICC).

A organização, que reúne siderúrgicas da região dos Carajás comprometidas a melhorar condições trabalhistas no setor, visitou e inspecionou a J.S Carvão, fornecedora da Siderúrgica Norte Brasil (Sinobras), em 5 de dezembro.

De acordo com o ICC, as condições da unidade com 200 fornos podem ser consideradas modelo para o setor. “O produtor mostrou que está consciente de suas obrigação e foi além do exigido pelas Normas Regulatórias do Ministério do Trabalho e Emprego”, afirma Ornedson Carneiro, presidente do ICC.

O grupo conta com 72 trabalhadores registrados e o carvão é produzido com resíduos de serraria.”Esperamos que este exemplo possa ser seguido por todos”, defende Ornedson, que defende que é possível produzir carvão respeitando direitos trabalhistas. “Esses profissionais têm uma remuneração e um trabalho digno, são tratados como cidadãos”.

Clique aqui para ver apresentação do ICC sobre a produção de carvão com responsabilidade social.