Obras de Belo Monte incentivaram mercado de sexo no Pará
24-06-2014

A construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte, iniciada em 2011 em Vitória do Xingu (PA), estimulou uma rede de exploração sexual na região. O município de Altamira, vizinho ao empreendimento, é o que tem recebido o maior contingente populacional desde o início da obra e, consequentemente, foi o mais afetado. A conclusão é de uma pesquisa encomendada pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

De acordo com o estudo de autoria de Assis da Costa Oliveira, da Universidade Federal do Pará (UFPA), os aliciadores exploram mulheres, adolescentes, travestis e índios, e aceitam até vale-alimentação como forma de pagamento pelos serviços sexuais. Foram mapeados 46 locais onde ocorre ou há a suspeita de exploração sexual de crianças e adolescentes. Um segundo relatório, finalizado em abril deste ano, também levou em consideração outras faixas etárias.

A pesquisa relata a manutenção de uma “onda de crescimento” de crimes sexuais ligados ao tráfico humano e prostituição em Altamira, entre os anos de 1957 a 2013, com picos entre 1992 e 1994; 2005 a 2007; e 2010 a 2013, de acordo com Oliveira. Embora não existam dados estatísticos que sustentem um aumento da exploração sexual, o pesquisador diz que grande parte dos entrevistados durante a elaboração da pesquisa disse perceber um aumento deste tipo de ocorrência.

Leia a reportagem completa no site do G1

Imagem: Divulgação Norte Energia