2,3 bilhões são pobres ou quase pobres, diz relatório do PNUD
25-07-2014

O Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD) divulgou nesta quinta-feira (24) o Relatório do Desenvolvimento Humano 2014, que convoca os países à “prestação universal de serviços sociais básicos e à implementação de políticas mais fortes de proteção social e de pleno emprego para garantir o desenvolvimento”. Segundo o PNUD, o mundo tem 2,3 bilhões de pessoas pobres ou quase pobres: 1,5 bilhão de indivíduos sofrem com carências superpostas em matéria de saúde, educação e nível de vida, enquanto cerca de 800 milhões estão vulneráveis a cair novamente na pobreza.

O documento “Sustentar o Progresso Humano: Reduzir as Vulnerabilidades e Reforçar a Resiliência” fornece uma nova perspectiva sobre a vulnerabilidade e propõe maneiras de fortalecer a resiliência. Ele afirma que é fundamental entender e combater a vulnerabilidade – associada a ameaças como crises financeiras, flutuações de preços dos alimentos, desastres naturais e conflitos violentos – para garantir os ganhos já obtidos e manter um progresso equitativo e sustentável.

Leia na íntegra o Relatório do Desenvolvimento Humano em inglês ou espanhol.

A divulgação do relatório chega para complementar o debate em torno da nova agenda de desenvolvimento pós-2015, que está sendo discutida para suceder os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Leia também:

ONU quer erradicação do trabalho escravo e infantil até 2025

Falta proteção social para mais de 70% da população mundial

Hipervalorização de gestores reflete a lógica da injustiça social

Imagem: Tonymadrid Photography (Creative Commons)