Trabalhadores são resgatados em fazenda de eucalipto em Coxim (MS)
16-12-2014

Um grupo de trabalhadores foi encontrado pela Polícia Militar no dia 3 de dezembro, após denúncia anônima, em Coxim (MS) (260 Km de Campo Grande) em condições degradantes de trabalho. Os trabalhadores, 14 paraguaios e três adolescentes brasileiros, atuavam na extração de madeira de eucalipto. Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT), as rescisões dos contratos e o pagamento foram realizados no dia 5 de dezembro por auditores-fiscais do trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e servidores do Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT-MS).

As vítimas foram aliciadas em Bella Vista do Norte no Paraguai e levadas à fazenda em outubro deste ano. Elas não tinham registro em carteira, não recebiam alimentação adequada e estavam submetidas à condições degradantes. Ainda de acordo com informações divulgadas pelo MPT, durante a operação de fiscalização foram constadas irregularidades no fornecimento de água potável e nas instalações sanitárias, além da falta de equipamentos de proteção individual ou treinamento para a operação de motosserras. Os trabalhadores ainda eram obrigados a dormir em colchões no chão até mesmo do lado de fora do alojamento.

As verbas rescisórias, com valor de um pouco mais de R$ 57 mil, foram pagas pelo proprietário da empresa Floresta Verde Transportes e Madeiras Ltda. Um dos trabalhadores, brasileiro, voltou para o estado de Minas Gerais. Os demais, brasileiros e paraguaios que viviam na região de fronteira, retornaram a Bella Vista.  Um dos empregados da exploradora de madeira, acusado de aliciamento, foi preso. O MPT também informou que instaurou inquérito para investigar o caso.

Informações: Ministério Público do Trabalho

Imagem: Google Maps