Empresário é acusado de submeter índio a trabalho escravo no Amazonas
18-12-2014

O Ministério Público Federal no Amazonas denunciou à justiça o empresário Luiz Cláudio Morais Rocha, conhecido como “Carioca”, por suspeita de ter empregado funcionários em regime análogo à escravidão nas regiões do Alto e Médio Rio Negro, no Amazonas.

Em operação conjunta realizada pelo Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho e pelo Ministério do Trabalho e Emprego entre 26 de abril e 11 de maio deste ano, foram resgatados 13 trabalhadores, entre eles, indígenas da etnia Yanomami, que trabalhavam com a exploração da piaçava, uma palmeira amazônica.

O empresário é suspeito de submetê-los a jornadas exaustivas e condições degradantes, além de omitir documentos da Previdência Social – para evitar provas do crime.

Na denúncia, o Ministério Público Federal no Amazonas pede a condenação de Luiz Cláudio Morais Rocha e o pagamento de cerca de R$ 125 mil, que devem ser revertidos aos 13 trabalhadores, como reparação mínima pelos danos materiais causados.

*Com informações do Ministério Publico Federal no Amazonas, de Brasília, Gabriel Silveira.

Texto: Agência Brasil

Imagem: Flickr/CC/Zanini.H.