Jovens representam 40% dos desempregados na América Latina e Caribe
15-12-2014

O “Panorama geral do trabalho na América Latina e no Caribe 2014”, lançado pela Organização Internacional do Trabalho na semana passada, mostra que o desemprego urbano continuou a cair em 2014, apesar da desaceleração econômica.

Segundo a OIT, a taxa de desemprego na área urbana foi de 6,2% no terceiro trimestre de 2014 e pode chegar a 6,1% no final deste ano (0,1% abaixo da taxa para 2013). O levantamento aponta que 40% dos desempregados da região são jovens. A avaliação é de que este índice pode voltar a aumentar em 2015 por conta de uma tentativa de retorno ao mercado de trabalho, de mulheres e jovens que estiveram afastados em 2014, dentro de um contexto de fraco crescimento.

O panorama deixa claro que os países foram afetados de maneira pela crise econômica. A taxa de desemprego urbano entre jovens caiu de 14,5% para 14%, mas permanecem duas a quatro vezes maior do que entre adultos. Os dados também apontam que os jovens representam 40% dos desempregados da região.

Embora o desemprego não tenha aumentado, houve, por conta da desaceleração do crescimento, uma redução acentuada dos novos postos de trabalho que representou uma queda de 0,4% para 55,7% no terceiro trimestre de 2014, o que segundo a organização, representa um milhão de empregos que deixaram de ser criados.

A média salarial formal – com base em informações de oito países – cresceu 1,7% no terceiro trimestre de 2014, comparado aos 2% do ano passado. Já os salários mínimos aumentaram 2,1% (no terceiro trimestre de 2014), menos que os 2,9% em 2013 e os 6% em 2012.

Embora o lucro das mulheres ainda seja 30% mais baixo do que o dos homens, a participação feminina no mercado de trabalho aumentou. A taxa de desemprego entre mulheres também é 30% maior do que entre homens.

Clique aqui para acessar o “Panorama Geral do Trabalho na América Latina e no Caribe 2014” (disponível em Espanhol)

*Com informações da OIT.