OIT lança vídeo de campanha contra a exploração de trabalhadores domésticos
12-02-2015

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), existem cerca de 53 milhões de trabalhadores domésticos no mundo e poucos deles estão cobertos por leis trabalhistas. Para proteger os seus direitos, promover a igualdade de oportunidade e tratamento e melhorar as suas condições de vida e trabalho, os estados-membros da organização adotaram, em 2011, a Convenção Nº 189, a primeira a tratar de forma específica de um setor onde predomina a informalidade. Até este agora, 17 países ratificaram a Convenção, e o vídeo da OIT faz parte de uma estratégia para chamar a atenção para o tema em todo o mundo.

A OIT também alerta que o trabalho doméstico está entre as atividades que mais apresentam vítimas de trabalho forçado, junto com agricultura, construção civil e manufatura. No vídeo, a organização quer sensibilizar as pessoas para os riscos de exploração e violação de direitos. Na página oficial do Facebook, a OIT divulgou a campanha com a seguinte frase: “Você não pensaria que poderia ser um tipo de trabalho perigoso. Tragicamente, muitas vezes é”.

Assista ao vídeo de campanha da OIT:

Trabalho doméstico no mundo

A OIT divulgou, em janeiro de 2013, que apesar de uma estimativa de mais de 50 milhões de trabalhadores domésticos no mundo, esse número poderia dobrar, uma vez que se trata de uma ocupação difícil de contabilizar por ser realizada “a portas fechadas”. Segundo o relatório lançado naquele ano, 10,5 milhões de trabalhadores infantis estariam submetidos ao trabalho doméstico, entre os quais, 71% seriam meninas.

O relatório, em inglês, sobre trabalho doméstico do mundo está disponível no site da OIT

Informações: OIT

Imagem: OIT/Reprodução