Homem é preso por manter pessoas em situação de trabalho escravo
26-03-2015

Um homem de 50 anos foi preso, nesta quarta-feira (25), suspeito de manter quatro trabalhadores em situação de trabalho escravo em uma propriedade rural localizada na Rodovia Assis Chateubriand, no município de Parapuã (SP). As vítimas têm 41, 49, 62 e 66 anos de idade.

A Polícia Militar encontrou dois homens capinando em um cafezal, um passava veneno na plantação sem utilizar Equipamento de Proteção Individual (EPI) e outro estava dentro da casa onde moravam. Em depoimento, os trabalhadores disseram que trabalhavam há cerca de dois anos e meio e que o combinado seria receber R$ 10 por dia. No entanto, só tinham recebido apenas uma vez durante esse tempo.

De acordo com a PM, as quatro vítimas moravam em quartos de casa de madeira, sem qualquer higiene. Como não havia banheiros no local, os trabalhadores faziam suas necessidades fisiológicas no quintal e no pasto. As vítimas afirmaram também que pela manhã recebiam apenas café puro e durante o dia tinham apenas duas refeições, almoço e jantar.

Em um dos cômodos da residência os policiais e agentes da Vigilância Sanitária localizaram alimentos, venenos e adubos armazenados sem proteção e higiene apropriada. Além disso, um refrigerador com comida estragada e validade vencida. O proprietário do sítio disse, em entrevista, que os alimentos estragados eram para a criação de porcos. Sobre os salários, ele informou que pagaria os trabalhadores com a colheita do café.

De acordo com a PM, o homem será encaminhado para a Cadeia de Lutécia, na região de Marília. Ele vai responder pelo crime de “reduzir alguém a condição análoga à de escravo”. Se for condenado pela Justiça, poderá receber uma pena de dois a oito anos de reclusão.

 * Com informações do I Fronteira

Imagem: Wikimedia Commons