OIT: Mais da metade da população rural mundial não possui acesso à saúde
30-04-2015

Um novo relatório divulgado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) mostra que 56% das pessoas que vivem em áreas rurais em todo o mundo não têm acesso a serviços essenciais de saúde. Esta porcentagem representa mais que o dobro da encontrada em áreas urbanas, onde 22 % não estão cobertos.

O relatório Evidência global sobre desigualdades na proteção de saúde rural: novos dados sobre os déficits rurais na cobertura de saúde para 174 países  revela grandes disparidades de acesso à saúde entre as áreas rurais e urbanas de todo o mundo, particularmente em países em desenvolvimento.

O maior número de pessoas em áreas rurais, que não estão cobertas por serviços essenciais de cuidados de saúde está na África, com 83%. Os países mais afetados também enfrentam os mais altos níveis de pobreza.

As maiores diferenças entre as áreas rurais e urbanas, no entanto, existe na Ásia. Na Indonésia, por exemplo, a porcentagem de pessoas que não são cobertas é duas vezes mais alta nas áreas rurais como nas áreas urbanas.

Segundo o estudo da OIT, ainda que o acesso aos cuidados de saúde seja garantido por lei, mas pessoas nas zonas rurais continuam excluídas. A situação é agravada pela falta de profissionais. Embora as maiores diferenças em relação ao acesso à saúde nas zonas rurais e urbanas sejam encontradas na África, a Ásia e a América Latina apresentam desigualdades significativas.

Acesse o relatório completo, em inglês, no site da OIT. 

Fonte: OIT

Imagem: Pixabay