Cargill defende o esforço coletivo para o combate ao trabalho escravo no Brasil
06-04-2016

Como as empresas podem ajudar a prevenir e combater o trabalho escravo no Brasil? O InPACTO conversou com Yuri Feres, Gerente de Sustentabilidade da Cargill.

“A Cargill acredita que tanto o enfrentamento do trabalho escravo, quanto a maior parte das questões relacionadas à sustentabilidade, só são possíveis de solução se a gente trabalhar em conjunto com os nossos clientes, com os nossos fornecedores – e inclusive com os nossos competidores -, com organizações da sociedade civil e com governo”, defendeu o gerente de sustentabilidade da empresa.

Yuri Feres também reforçou o compromisso da empresa com as ações do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo. “A Cargill é signatária do Pacto desde 2006 e a gente acredita, por ser uma empresa global e estar no Brasil há mais de 50 anos, que faz parte do negócio garantir que as nossas cadeias de suprimentos estejam livres do trabalho escravo e de outros itens que de fato são relevantes, não só para a sociedade, mas que são justos e corretos do ponto de vista da atuação da empresa”, afirmou.

Segundo ele, a principal atuação da Cargill dentro do Pacto é mapear e entender a sua própria cadeia de negócios de modo a não comercializar com pessoas e empresas que desrespeitem os direitos humanos. “Parece uma atividade simples, mas no Brasil são nove unidades de negócio com em torno de 15 mil produtores, só citando os produtores de soja para dar um número de grandeza”, ponderou.

Feres ainda ressaltou a importância da institucionalização do Pacto, que através do InPACTO (Instituto Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo) permite aos seus associados e interessados pelo tema uma maior compreensão do problema e das melhores formas de enfrentamento do trabalho escravo. “O InPACTO traz aí uma vantagem e um benefício para todos aqueles que participam e tem interesse em participar”, declarou.

***

Veja também o vídeo de abertura da série, com trechos de depoimentos de todos os entrevistados:

Empresas falam sobre prevenção e combate do trabalho escravo no Brasil

E o vídeo de entrevista com o Walmart sobre o tema:

Executivo do Walmart incentiva empresas a fazerem parte do InPACTO