Pindaré investe em primarização de insumos para reduzir riscos na sua cadeia produtiva
15-06-2016

Como as empresas podem ajudar a prevenir e combater o trabalho escravo no Brasil? O InPACTO conversou com Fernando Rangel, diretor da Pindaré. A entrevista foi realizada no final de 2015, na sede do InPACTO, em São Paulo (SP).

A Companhia Siderúrgica Vale do Pindaré, produtora de ferro-gusa, foi na contramão da terceirização para reduzir riscos de violações de direitos trabalhistas e humanos na sua cadeia produtiva. A empresa com sede em Açailândia, no Maranhão, tem o carvão vegetal como um dos seus principais insumos. No vídeo abaixo, Fernando Rangel fala sobre a Energia Verde, empresa pertencente ao mesmo grupo, criada em 2007 para suprir a necessidade interna de carvão vegetal.

“A Energia Verde foi criada para que nós fizéssemos a colheita florestal nas nossas próprias florestas e transformássemos essa madeira em carvão vegetal para ser usado pela siderúrgica Pindaré. De forma progressiva fomos deixando de adquirir carvão vegetal de mercado para produzirmos nosso próprio carvão”, explicou.

Este vídeo faz parte de uma série produzida com o objetivo de sensibilizar e mobilizar as empresas para a prevenção e erradicação do trabalho escravo em seus negócios e suas cadeias produtivas. A ação está entre as atividades do InPACTO na promoção da prevenção e erradicação do trabalho escravo no Brasil nas cadeias produtivas de empresas nacionais e internacionais.