Prova pede que alunos escolham entre escravidão ‘no engenho ou doméstico’
01-06-2016

Em uma prova de História, alunos do 4º ano do Ensino Fundamental tiveram de responder que tipo de trabalho escravo iriam preferir. “Se você fosse um escravo, que tipo de trabalho você gostaria de fazer: no engenho ou doméstico?”, era a pergunta aos estudantes de uma escola na Tijuca, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O caso foi publicado pelo jornal Extra.

Mãe de um dos alunos, a médica Priscila Hirle se surpreendeu quando leu o enunciado no caderno do filho. A criança, que é negra como Priscila, respondeu de forma direta: “Nenhum”.

Priscila compartilhou sua indignação em seu perfil no Facebook, o que gerou comentários de apoio e repercussão na mídia. A médica recebeu mais de um pedido de entrevista de portais e emissoras de TV. “Estou assustada com o dever de casa (de História) do meu filho! Não acho que uma pergunta dessa deveria ser feita, principalmente a uma criança de 9 anos. O coitado ainda escreveu ‘nenhum’. Trata-se de um passado triste, criminoso e que não merece recordações ou simulações”.

Na última segunda-feira, 30, Priscila voltou ao assunto em sua página na rede social e disse que conversou com uma coordenadora do colégio. De acordo com a médica, a direção da escola defendeu a professora e disse que não se tratava de racismo. “Não podemos naturalizar a escravidão”, escreveu Priscila. “Nunca me calarei diante de apologia a injustiças.”

Leia a notícia completa aqui.

Imagem: Reprodução / Facebook