Syngenta defende disseminação de boas práticas para o combate ao trabalho escravo
01-06-2016

Como as empresas podem ajudar a prevenir e combater o trabalho escravo no Brasil? O InPACTO conversou com Marcio Pascholati, gerente de projetos da Syngenta. A entrevista foi realizada no final de 2015, na sede da empresa, em São Paulo (SP). Assista ao vídeo:

Segundo Pascholati, “é muito importante a pessoa saber que a empresa em que trabalha está trabalhando também para a erradicação do trabalho escravo”. Ele acredita que quando mais empresas têm o mesmo discurso do combate ao trabalho escravo, para todo mundo fica mais fácil. “Se nós vamos, uma outra empresa vai e a concorrente vai com o mesmo discurso, você começa a propagar uma corrente positiva para a erradicação do trabalho escravo. Fica mais fácil para todo mundo. E você começa a participar de fóruns onde você ensina e aprende”, declarou.

Sobre as boas práticas com os trabalhadores no campo, ele defende que é importante que sejam copiadas por outras empresas. “Se nós temos uma boa prática, podemos dividir, e se você quiser, pode copiar. Nós vamos ficar muito orgulhosos de você copiar a nossa boa prática. E se você tiver uma boa prática nós também vamos copiar. Essa é a nossa intenção em participar e poder aprender”.

Este vídeo faz parte de uma série produzida com o objetivo de sensibilizar e mobilizar as empresas para a prevenção e erradicação do trabalho escravo em seus negócios e suas cadeias produtivas. A ação está entre as atividades do InPACTO na promoção da prevenção e erradicação do trabalho escravo no Brasil nas cadeias produtivas de empresas nacionais e internacionais.