CAMI lança campanha: “NÃO ao Trabalho Escravo, SIM ao Trabalho Digno!”
11-07-2016

O Centro de Apoio e Pastoral do Imigrante (CAMI) lançou, durante o VII Fórum Social Mundial de Migrações, realizado entre 7 e 10 de julho, em São Paulo, a campanha ‘NÃO ao Trabalho Escravo, SIM ao Trabalho Digno!’. O objetivo é combater o trabalho escravo e o tráfico de pessoas que atingem milhares de imigrantes no Brasil.

A violação dos direitos humanos, a exploração e a privação do exercício da liberdade atingem mais de 45 milhões de pessoas no mundo. A China, Paquistão, Índia e Bangladesh lideram entre os países com a maior proporção de população em situações de escravidão. No Brasil, estimativas indicam que 220 mil trabalhadores migrantes e imigrantes são sujeitados ao trabalho escravo, número ainda longe da realidade. Na região metropolitana de São Paulo, imigrantes, predominantemente latino-americanos e africanos, são submetidos ao trabalho degradante, a escravidão contemporânea.

Para denunciar fortemente esse problema ao nosso redor, imigrantes de diversas nacionalidades farão, durante o VII Fórum Social Mundial de Migrações, o lançamento de uma Campanha com o lema: NÃO ao Trabalho Escravo, SIM ao Trabalho Digno! O foco dessa ação é o mundo da indústria têxtil e de confecções na cidade de São Paulo e região metropolitana, onde milhares de imigrantes trabalham em jornadas exaustivas, sujeitos a condições degradantes, em locais precários e cerceados em sua liberdade. A maioria dos trabalhadores nessa situação são pessoas com idade entre 17 e 35 anos.

A campanha chamará a atenção para essa grave violação de direitos, sensibilizando o maior número possível de pessoas para o engajamento nas lutas contra esse crime que atenta contra a dignidade humana.

“É hora de transformar o que não dá mais. Sozinho, isolado, ninguém é capaz. Por isso Vem, entra na roda com a gente, também. Você é muito importante, vem”!

NÃO ao Trabalho Escravo, SIM ao Trabalho Digno!*

*Texto: Campanha “NÃO ao Trabalho Escravo, SIM ao Trabalho Digno!

Saiba mais sobre o Centro de Apoio e Pastoral do Imigrante (CAMI), acesse: http://camimigrantes.com.br/site/