Mesa de Café Brasil realiza oficina sobre os instrumentos normativos para sustentabilidade social do setor
30-03-2018

O Mesa de Café Brasil promoveu na última terça-feira, em São Paulo, a Oficina “Instrumentos Normativos para a Sustentabilidade Social do Café”. O evento foi uma oportunidade de envolver os diferentes atores da cadeia do café na discussão de temas como legislações nacionais e internacionais relacionadas aos temas de empresas e direitos humanos, fairtrade, promoção do trabalho decente e erradicação do trabalho escravo no comércio internacional.

Para o coordenador do projeto, Ebenézer Oliveira, a oficina atingiu seu propósito de discutir e problematizar questões importantes para a garantia da sustentabilidade social da produção de café, como os marcos normativos nacional e internacional, reflexões ligadas a empresas e direitos humanos e as políticas públicas transversais que tratem do tema.

“Os participantes se mostraram muito interessados nas discussões, propondo alternativas, formulando perguntas e compartilhando casos de boas práticas; além de demonstrarem grande interesse em manter o tema avançando em suas organizações”, destaca.

Participaram da oficina representantes da Cooperativa Minasul, Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), Fundação Neumann, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (EMATER-MG), Clínica de Trabalho Escravo e Tráfico de Pessoas da Faculdade de Direito da UFMG, Solidaridad Network, Imaflora, Centro de Direitos Humanos e Empresas da FGV, Conectas Direitos Humanos e Ministério do Trabalho (MTb); além dos parceiros do projeto: Catholic Relief Services (CRS), Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Plataforma Global do Café.

As próximas semanas serão de visitas e reuniões com parceiros estratégicos e setores da cadeia produtiva do café.

 

O Mesa de Café Brasil é uma iniciativa do InPACTO e da Catholic Relief Services (CRS), que tem como foco mobilizar os produtores e empresários do setor cafeeiro, governos e organizações a fim de fomentar a transparência das ações de proteção social na produção de café brasileiro. O projeto tem a parceria do Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé), Plataforma Global do Café (GCP) e Organização Internacional do Trabalho (OIT).